Judaismo e ecologia por Jayme Fucs Bar

03-03-2012 18:14

Tza'ar baalei chayim é um termo usado hoje em Israel não somente entre rabinos ,mais também por muitas organizações ecológicas em suas campanhas de proteção ao animal e o meio ambiente.

Esse termo antigo na cultura Judaica , que foi tirado da Torá que nos apresenta de forma muito sabia muitos "alertas" sobre esse importante tema.

Consta no Talmud que o Criador , escolheu Moshê como líder do povo judeu observando a forma que ele tratava do rebanho de suas ovelhas , onde jamais abandonou seu rebanho ou permitiu que um único animal fosse abandonado e maltratado .

Evitar o sofrimento dos animais, respeito ao meio ambiente , e o cuidado com a natureza faz parte integral do Judaísmo . Exemplo disso é como viveu os antigos Essênios em suas diversas comunidades, onde tinham uma grande preocupação em ser parte integral do meio ambiente, eram naturalistas, cooperativistas e acreditavam que a formula espiritual de se aproximar do Criador, seria na pratica e o respeito ao equilíbrio ecológico

Os Sábios do Talmud , nos observam que Adam e Eva foram vegetarianos, pois está escrito: "vegetais e frutas serão seu alimento" (Bereshit).e que o Criador somente permitiu carne a Nôach e seus descendentes após o Dilúvio .

Esses sábios nos explicam que os seres humanos mesmo expulso do Eden ( o paraíso) , o Criador deu ao homem , ainda um nível espiritual bem mais elevado, da cadeia alimentar. O grande problema, foi que mais uma vez o ser humano não soube usar com dignidade esse livre arbítrio, essa " Dificil liberdade " perante aos outros homens e a natureza .

O Dilúvio veio como forma do Criador tentar "concertar" o que estava errado e de certa forma nos dar uma nova chance de saber usar a nossas vidas com "sabedoria" e de respeitar a liberdade do outro .

Os Sábios do Talmud nos afirma que apois ao Diluvio , os seres humanos, caíram de nível espiritual , se tornaram ligado à cadeia alimentar, como forma de saber se integrar como parte dela e não mais superior a ela . A humanidade parece que tinha descido em sua capacidade de influenciar o mundo animal através de ações, e assim foi necessário influenciar o mundo animal mais diretamente, ingerindo-os. Desta forma, a carne foi permitida a Nôach como parte do desvinculo de um ser que era mais elevado, e a partir do Diluvio, se torna mais "animal". Um desenvolução de sua espiritualidade e uma elevação de seu racionalismo e materialismo.

O Interessante que mesmo com essa "permissão" de comer carne animal , depois do diluvio essa " liberdade " ainda estava condicionada a regras claras como: Não permitir caçar animal por esporte, se alguém vê um animal sofrendo é obrigação ajudar o animal. Não comer antes de alimentar os animais domésticos, Não causar sofrimento no animal em seu abate, Os animais devem descansar no sábado, Não abater um animal junto com seu filhote etc.

Hoje em dia onde vivemos num mundo altamente racional e materializado ,existe uma interessante tendência de muitos a procurar da espiritualidade , muitos procuram essa espiritualidade, através da pratica da alimentação mais naturalista, como forma não somente de se " comer mais saudável" ,mais também de sentir um pouco do gosto do "Eden" e viiver num mundo mais equilibrado espiritualmente.

Muitos dos Sábios Hebreus afirmavam que na chegada do Meshiach,os seres humanos retornarão ao Naturalismo de certa forma a idéia do Messiach é uma tentativa de voltar para o "Eden", na qual tanto nos afastamos.

Nesta grande espera do "Messiach das esperanças", dizia com muita devoção o sábio Yeshayahu Leibowitz (1994) "Ha meshiach Yavo U Yavo Aval kol Meshiach she Yavo U Meshiach Sheker". (O Messiach vira ele (a) Virá mais todo Messiach que chegar será um Messiach falso" ) . E ao perguntar ao Sábio Yeshayahu Leibowitz se não havia contradição em suas palavras ele dizia " Que o Messiach virá somente quando todos os seres Humanos possam evoluir para serem realmente livres."

Devemos estar sempre atento que o ser humano é parte integral da "teia da vida", e não superior a ela , ao contrário (fora do "Eden" ) somos totalmente dependente dela para a nossa sobrevivência.

Somos todos inseparáveis desse elo com a natureza, que nos proporcionou o Criador .E cabe a nos seres humanos a saber usar com responsabilidade a nossa "Difícil liberdade" principalmente nestes novos tempos modernos, onde cuidar, educar e conservar a natureza é saber por em pratica a maior de todas as Mitzvot que é o amor ao próximo o Amor a Vida!.

O Ganhador

"Quando o homem aprender a respeitar até o menor ser da criação, seja animal ou vegetal, ninguém precisará ensiná-lo a amar seu semelhante."

Assim declarou Albert Schwweitzer no ato de recebimento do Nobel da Paz em 1952.

Contacto

FUCS BAR

jfucs@netvision.net.il

Kibbutz Nachshon Israel 99760

00972 507677948

Procurar no site

FUCS BAR Turismo Educativo© 2010 All rights reserved.

Powered by Webnode